Subversão

Deu match entre cinema e literatura com temática LGBT. Vem ver

Satyrikon

Satyrikon – reprodução da internet

Deu match no mundo das artes, entre cinema e literatura com a temática LGBT. E a gente shippa mesmo. E para ficar mais gostosinho ainda, vai rolar do dia 9 até 19 de maio, das 19h30 às 21h30, no Sesc Santana a Oficina de Cinema e Literatura – Diversidade sexual da palavra escrita à imagem cinematográfica com Alexandre Rabelo e Lufe Steffen.

A oficina analisa 16 obras literárias: romances, contos e dramaturgia que abordam a temática LGBT e foram adaptadas para o cinema nos últimos 60 anos. Babadeira, não?

De acordo com a divulgação do evento, o objetivo é trazer à luz narrativas que buscaram a diversidade sexual e afetiva, sempre discutindo as diferenças entre as linguagens e revelando os processos de cada adaptação – refletindo sobre o que foi feito e quais os caminhos para o futuro dessa temática.

Não perde não. As inscrições são gratuitas na Centro de Atendimento do Sesc Santana. Clica aqui para saber mais no evento da oficina no Facebook.

Serviço
Oficina de Cinema e Literatura – Diversidade sexual da palavra escrita à imagem cinematográfica
Sesc Santana, av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana, São Paulo
Com Alexandre Rabelo e Lufe Steffen
De 9 a 19 de Maio
Das 19h30 às 21h30
Gratuíto

Anúncios
Padrão
Subversão, Vejo

Prepare baldes de pipoca. 22º Festival Mix Brasil abre as telas com filmes inéditos

Prepare a pipoca!  Está chegando o 22º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, entre 13 e 23 de novembro, para arrancar as lagrimas dos haters conservadores, fundamentalistas e psicoreligiosos de plantão. Porque viadagem também é cultura meobem!

O evento terá programação especial no Centro Cultural São Paulo (CCSP) – onde acontecerão exibições de filmes, teatro, música, leitura dramática, performances, dança e intervenções culturais, e também nas salas do CINESESC, Espaço Itaú de Cinema – Augusta e sessões open air.  Em toda a programação comunidade LGBT e simpatizantes pagam meia-entrada.

A estrela do ano é longa inédito, “Algo a Romper” (Something Must Break, Suécia/2014) de Ester Martin Bergsmark, vencedor do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, Frameline Film Festival, Outfest e do Queer Lisboa, abrirá no dia 13 de novembro, com a presença da diretora, o Mix Brasil 2014.  O filme conta a história da batalha pelo amor entre dois jovens, sendo um deles Sebastian, andrógino, e Andreas, que não é gay.

O Panorama Internacional, seção do evento dedicada à exibição de novas produções, apresenta longas-metragens e documentários que estão circulando em festivais internacionais de cinema e no circuito LGBT. Destaques para “Xenia” (Grécia, França, Bélgica/2014) de Panos H. Koutras, “Nan Goldin – Lembro do seu Rosto” (Alemanha, Austrália, Suíça/2013) de Sabine Lidl, “Mommy” (Canadá/ 2014) de Xavier Dolan, candidato a melhor filme estrangeiro pelo Canadá, que acompanha o comovente e complicado relacionamento entre uma mãe meio amalucada e seu filho adolescente hiperativo, que não consegue se controlar. Entre os documentários, está o indicado por Portugal para o Oscar de melhor filme estrangeiro. “E Agora? – Lembra-me” (Portugal/ 2013) de Joaquim Pinto. Convivendo com o HIV e a hepatite C há quase 20 anos, o diretor Joaquim Pinto documenta sua experiência por clínicas clandestinas onde, durante um ano, fez uso de drogas ainda não aprovadas para o tratamento do vírus.

No circuito nacional, o Festival Mix Brasil traz uma novidade: o prêmio Coelho de Ouro para o melhor longa/média-metragem brasileiro. Os concorrentes são “Favela Gay” de Rodrigo Felha, “Castanha” de Davi Pretto, “Hipóteses – Entre o Amor e a Verdade” de Rodolfo Vázquez García, “Batguano” de Tavinho Teixeira, “Cássia” de Paulo Henrique Fontenelle, “Verona” de Marcelo Caetano, “Nova Dubai” de Gustavo Vinagre, “De Gravata e Unha Vermelha” de Miriam Chnaiderman, “Para Sempre Teu, Caio F.” de Candé Salles e“Gazelle – The Love Issue” de Cesar Terranova. Este último, que fará sua Première Mundial no Festival, conta a história de Paulo Araújo, comissário de bordo de 45 anos que se transforma em seu alter-ego Gazelle.

O Mix apresenta este ano sua maior seleção de curtas-metragens nacionais, escolhidos entre as mais de 300 inscrições recebidas em 2014. Entre a Mostra Competitiva e os programas especiais de curtas, mais de 50 trabalhos brasileiros reforçam a programação, que ainda conta com uma seleção especial de curtas britânicos e um programa para bears.

Vários convidados internacionais estarão na 22° edição do Mix Brasil. Entre eles, Antony Hickling, diretor francês do longa Respirando FundoTodd Verow e Charles Lum, diretores do longa Dando No Couro (EUA) e de dois episódios de “Fucking Different New York” e “Fucking Different XXX”. O festival contando também com a presença especial de Colby Keller, artista, escritor, blogger, vlogger e porn star, ator do curta Zolushka (Cinderela)”.

O festival organiza ainda a mostra Pioneiros do Cinema Homoerótico, uma homenagem especial aos cineastas Wakefield Poole e Peter de Rome, grandes contadores de histórias eróticas das décadas de 60, 70 e 80. Recentemente redescobertos, seus filmes transitavam entre o artístico e o sexualmente explícito, em uma época em que a pornografia gay era considerada ilegal.

Outras atrações também estão confirmadas como as peças “Genet”, Baseado na obra de Jean Genet com texto de Zen Salles e direção Sergio Ferrara, a estreia nacional de “A Geladeira” do argentino Copi com direção de Nelson Baskerville e atuação de Fernando Fecchio,“Ou Você Poderia me Beijar” com Clara Carvalho, Claudio Curi e grande elenco, e os shows de Nicky Valentine, Daniel Peixoto, Rafael Vidalles e Adriano Cintra

O irreverente Show do Gongo não poderia ficar de fora. As atrações serão submetidas ao júri popular e convidados comandos por Marisa Orth. Os interessados poderão se inscrever no balcão de credenciamento durante o festival ou até horas antes do início das gongadas, que acontece no dia 18 de novembro no CCSP.

Com direção de João Federici e André Fischer, o 22° Festival Mix Brasil é realizado através do patrocínio e em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo; Sabesp; Sesc, Secretaria Municipal de Cultura São Paulo; Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo através da Coordenação de Políticas LGBT e Centro Cultural São Paulo.

A programação completa do 22° MIX BRASIL DE CULTURA DA DIVERSIDADE estará disponível no site www.mixbrasil.org.br. 

Serviço
CCSP – Centro Cultural São Paulo (cinema/ teatro e shows)
Gratuito a R$1,00

ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA (SALA 3) – Augusta
SEG – R$ 22,00 (inteira) e R$ 11,00
 (meia)
TER – R$ 18,00 (inteira) e R$ 9,00 (meia)
QUA – R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia
QUI a DOM e FERIADOS – R$ 27,00 (inteira) e R$ 13,50 (meia)

Comunidade LGBT e simpatizantes pagam meia

CINESESC
SEG a QUI – R$ 16,00 (inteira) e R$ 8,00 (meia)
SEX a DOM – R$20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Comunidade LGBT e simpatizantes pagam meia

Padrão