O País da farda

Não somos mais uma sociedade do espetáculo, somos uma sociedade do absurdo. O crime praticado pelo Estado é estampado na capa da Folha de S. Paulo desse sábado. A violência é posta, exposta e dissecada ao público; independe do editorial do jornal ou não. Está lá o absurdo capturado, impresso ou publicado em bits. A… Continue lendo O País da farda

Anúncios

Jornalismo; a vida como ela é. Só que não

“Há alguns anos escrevi que as telenovelas assumiram um papel comunicacional maior do que os telejornais. E atualmente elas avançaram mais; dizem mais da realidade brasileira do que os próprios jornais”. Sentado em das confortáveis poltronas do Memorial da América Latina, em São Paulo, presto atenção a fala do professor doutor em Comunicação da USP Ciro Marcondes Filhos. Ele é o responsável pelo curso Re-pensando a Comunicação Contemporânea na América Latina; promovido pela Cátedra Unesco.